Aqui tem memória
| Arquivo Público de Alagoas

05/10/2017

Partitura original dedicada à Comissão dos festejos para o centenário de Emancipação Política

Partitura original dedicada à Comissão dos festejos para o centenário de Emancipação Política e que deveria ser executada nas festas comemorativas pela banda da polícia.

16/09/2017

Carta Régia de 1817 reproduzida no Diário de 1917

Raridade: Foi com essa carta régia que D. Pedro VI concedeu a Emancipação Política de Alagoas, que até 16 de setembro de 1817 pertencia à Província de Pernambuco. A Carta consta no Diário Oficial de 1917, ano do centenário de Alagoas, e hoje, no Bicentenário divulgamos aqui pra vocês graças a esse resgate do Arquivo Público de Alagoas. 

09/09/2017

Livro do Centenário de Alagoas (1917)

O livro comemorativo apresenta os 100 anos de indepêndencia política de Alagoas. Seu conteúdo abrange vários aspectos históricos como a participação na Guerra do Paraguai e aborda a contribuição do Côco de roda na cultura local. 

01/09/2017

Propaganda de Imigração em Alagoas

Durante a segunda metade do século XIX a vinda de imigrantes europeus para o Brasil cresceu e muitos Estados tentaram atrair essas pessoas. Em Alagoas, a propaganda elaborada tem o foco em duas nações específicas: a Italiana  e a  Francesa. 

24/08/2017

Tabela de fretes e passagens

A tabela com os preços cobrados pela Empresa da Navegação à Vapor das Lagoas é um exemplo do cotidiano de Alagoas na segunda metade do século XIX. É possível observar o que existia sendo transportado e o alcance do transporte por via hídrica em localidades de grande importância para  a sociedade e a economia de Alagoas de outrora. Alguns exemplos são: sabão, fumo, sardinha, ferragens, lona, estopa, sal, galinha, entre outros. 


Ano – 1882


*Presidente de Província: Eutique Gama e Domingos Antônio Rayol


Fonte: Arquivo Público de Alagoas / Gabinete Civil do Estado de Alagoas

20/08/2017

Documento da prefeitura de Palmeira dos Índios durante gestão de Graciliano Ramos

Poucos sabem, mas o cânone da literatura brasileira, o alagoano Graciliano Ramos, foi também político e prefeito da cidade de Palmeira dos Índios, interior de Alagoas, entre os anos  de 1927 e 1930. Candidato único pelo Partido Democrata, o sisudo escritor não chegou a se envolver na própria campanha nem esperava ganhar. 

Sua gestão, no entanto, não só aconteceu como foi reconhecida pelas várias realizações na estrutura da cidade, a criação de posturas municipais e cuidados com a limpeza além da seriedade com que tratou o dinheiro público. Tudo isso no curto espaço de tempo de dois anos. Graciliano conseguiu ainda transformar seus relatórios burocráticos em peças literárias nos anos de 1929 e 1930, ano em que renunciou ao cargo. 

O documento acima é a apresentação de um balanço geral da sua gestão no segundo bimestre de 1929, remetida ao Presidente do Conselho juntamente com o comunicado de que os dados do relatório são os mesmos repassados ao governador do estado no ano de 1930. 


Fonte: Arquivo Público de Alagoas / Gabinete Civil do Estado de Alagoas

19/08/2017

APA - Aqui tem 200 anos de memória

Um estado que completa 200 anos como ente federativo possui história, registros e memória. Por isso, o Portal do Bicentenário de Alagoas disponibilizará ao público, semanalmente, documentos administrativos e históricos que contam, explicam e informam sobre períodos importantes da formação política, econômica, cultural, social e comportamental do estado. 


Tudo isso só é possível através de uma parceria com o Arquivo Público de Alagoas, que integra a estrutura do Gabinete Civil, e preserva um grande e valioso acervo com obras de autoria de escritores alagoanos, sobre Alagoas e fotografias.  São aproximadamente 1.200 metros lineares de documentos nos mais variados tipos de suportes: livros, manuscritos, impressos, fotografias, mapas etc. 


O APA fica na Rua Sá e Albuquerque, s/n, no Jaraguá, em Maceió e funciona das 8h às 14h.

1