14/12/2017 09h49 | Por: Natália Souza

O voo do seu Portela

Avião "Garoto" pousa na Avenida da Paz

Texto de: Carlito Lima
Whats App Image 2017 12 13 At 16 02 29

O fato aconteceu na Praia da Avenida da Paz. Apareceu em Maceió um português fazendo demonstrações aéreas com um avião teco-teco. Seu proprietário fazia apresentações em todas as cidades por que passava, vivia desse biscate. 

O avião de nome Garoto decolava e pousava na Praia da Avenida durante a maré baixa, perto do Sobral, local mais deserto. Suas apresentações eram piruetas, parafusos, folhas secas e outras acrobacias. 

Como não podia cobrar dos expectadores que ficavam na praia observando, ele cobrava de quem se arriscava a dar uma voada com ele durante suas peripécias aéreas. Um de cada vez, porque só havia um lugar além do piloto. A cada voo de cinco minutos, o português cobrava cinco mil réis. 

Numa tarde bonita e ensolarada de verão, o português fazia magníficas exibições nos céus da Praia da Avenida. O povo, assistindo ao espetáculo, vibrava com o arrojo do piloto, uma maravilha de exibição.    

Entre os candidatos ao voo surgiu seu Portela, figura altamente conhecida na cidade, onde tinha uma loja no Centro, na Rua do Comércio. 

Eram aproximadamente quatro da tarde quando chegou sua vez. O português colocou seu Portela na poltrona, prendeu-o com o cinto de segurança, deu-lhe todas as recomendações e assumiu o comando do Garoto. 

Taxiou pela beira da praia de areia dura e extensa, tomou velocidade e decolou em direção ao mar. Rapidamente, atingiu a altitude necessária e iniciou as acrobacias aéreas. 

Não demorou muito. Após um arrojado “looping”, deu sinal que estava retornando à praia. Os inúmeros expectadores acharam estranho. Por que em tão pouco tempo o Garoto retornava ao solo? Seria alguma complicação mecânica? Alguma pane? O teco-teco estava a perigo? Eram as perguntas que faziam entre eles. Formou-se maior expectativa. 

(*) Em Histórias do Velho Capita

 

Leia a crônica completa http://gazetaweb.globo.com/gaz...